26 de ago de 2008

Juno e O Escafandro e a Borboleta disputam prêmio humanitário

Juno e O Escafandro e a Borboleta disputam prêmio humanitário (26/08/2008 - 11h58) Da Redação http://www.cineclick.com.br/">www.cineclick.com.br

Cena de Juno John Wells, novo presidente do Humanitas Prize, anunciou os finalistas deste ano ao prêmio. O evento homenageia roteiros de filmes e de seriados que "explorem a condição humana de um modo que afirme a dignidade das pessoas e revele a humanidade comum".Os finalistas na categoria de longa-metragem são Juno, roteirizado por Diablo Cody, vencedora do Oscar 2008 na categoria de Melhor Roteiro Original; O Escafandro e a Borboleta, com roteiro de Ronald Harwood (O Pianista), e Lars and the Real Girl, escrito por Nancy Oliver.O evento, que também dará US$ 10 mil para cada um dos vencedores, ocorrerá no dia 17 de setembro no salão de baile do Berverly Hills Hotel, na Califórnia (EUA).Confira os indicados ao Humanitas Prize:Longa-metragemJuno, escrito por Diablo CodyO Escafandro e a Borboleta, escrito por Ronald HarwoodLars and the Real Girl, escrito por Nancy OliverFilmes exibidos no Festival de SundanceHenry Pole is Here, escrito por Albert TorresA Raisin in the Sun, escrito por Paris QuallesThe Visitor, escrito por Tom McCarthyFilme para TVBury My Heart at Wounded Knee, escrito por Daniel GiatCharlie e Eu, escrito por John WierickPictures of Hollis Woods, roteiro de Ann Peacock, Daniel Petrie Jr. e Camille ThomassonSeriados com uma hora de duração Boston Legal', episódio Roe V. Wade, The Musical, escrito por David E. Kelly e Susan DickesJohn Adams, episódio Part 1, escrito por Kirk EllisThe Wire', episódio Late Editions, escrito por George Pelecanos (roteiro), David Simon e George Pelecanos (história)Seriados com 30 minutos de duraçãoThe Bill Engvall Show, episódio Aloha Raffles, escrito por Kathy Ann StumpeIn Treatment, episódio Sophie Week 2, escrito por Sarah TreemScrubs, episódio My Long Goodbye, escrito por Dave Tennant...vale a pena conferir....!!!

23 de ago de 2008

1 tatoo e 2 tatoo......legalllll....começouuu voem!!!!



mais uma historinha

O amor é como uma borboleta. Por mais que tente pegá-la, ela fugirá.
Mas quando menos esperar, ela está ali do seu lado.
O amor pode te fazer feliz, mas às vezes também pode te ferir.
Mas o amor será especial apenas quando você tiver o objetivo de se dar somente a um alguém que seja realmente valioso. Por isso, aproveite o tempo livre para escolher,eu acho que voce é valioso então voe para a Sua Felicidade...

bobolettas e bobolettus
Mandem a sua também !!!!!
de ASas a essa Causa !!!!!!!!!

22 de ago de 2008

Brasileira tem que ganhar no pulo...!!!


Parabens pela nossa saltadora quase saiu voando..igual uma borboleta em busca do voo perfeito.....Ouro do Brasil.......muita atitude de quem quer GANHAR...!!!
vAMOS TENTAR PULAR MAIS ALTO PORQUE TA FEIA A COISA...VAMOS nõs superAR!!
VAMOS VOAR MUITO ALTO PORQUE SO BOBÖ NAO TENTA...VAI QUE DAMOS O PULO DO OURO...!!!!SUCESSU

13 de ago de 2008

até Phelps ama borboleta..o homem peixe..rsrrss


Phelps, no entanto, ainda não atingiu sua principal meta: ultrapassar a incrível marca de sete medalhas de ouro em uma mesma edição de Jogos Olímpicos. Até agora, a façanha é do também americano Mark Spitz, conquistada nas Olimpíadas de Munique 1972. Phelps disputa mais três provas em Pequim (200m medley, 100m borboleta e o revezamento 4x100m medley). Até o momento, ele já conquistou na China cinco ouros e cinco recordes mundiais nos 200m borboleta, 200m livre, 400m medley, 4x200m livre e 4x100m livre, sendo esta última considerada por especialistas como a maior apresentação de um revezamento em todos os tempos.

Phelps larga atrás, mas recupera na primeira virada

Phelps beija a mãe após mais uma vitória

Nos 200m borboleta, Moss Burmester, da Nova Zelândia, largou melhor que o americano e chegou a colocar quase meio corpo de vantagem. Phelps virou os primeiros 50m em segundo (25s36), apenas três centésimos de segundos de Burmester, mas assumiu a liderança logo depois. O americano passou os 100m em primeiro e depois foi apenas abrindo vantagem (53s53 e 1m22s75) até garantir a vitória e o recorde com quase um corpo de diferença para o segundo colocado, o húngaro Laszio Cseh (1m52s70). A medalha de bronze ficou com o japonês Takeshi Matsuda (1m52s97).

Gente vamos ae pega a borboleta do phelp's..se ele consegue se supera nós tb...

4 de ago de 2008

LEIA DEPOIMENTOS DE EXPERIÊNCIA DE VIDA..

Marina Silva *EX-MINISTRA DO MEIO AMBIENTE

Atrás de uma borboleta azul

Florestas não são apenas estatísticas. Nem apenas objeto de negociações, de disputa política, de teses, de ambições, de pranto. Antes de mais nada, são florestas, um sistema de vida complexo e criativo. Têm cultura, espiritualidade, economia, infra-estrutura, povos, leis, ciência e tecnologia. E uma identidade tão forte que permanece como uma espécie de radar impregnado nas percepções, no olhar, nos sentimentos, por mais longe que se vá, por mais que se aprenda, conheça e admire as coisas do resto do mundo.

Vivi no seringal Bagaço, no Acre, até os 16 anos. Tenho pela floresta muito respeito e cuidado. Quem conhece a mata, não entra de peito aberto, mas com muita sutileza. Ali estão o suprimento, a proteção e os perigos.

E também o mistério, algo não completamente revelado. Vidas e formas quase imperceptíveis. O encontro, a cada momento, de um cipó diferente, uma raiz, uma textura, uma cor, um cheiro. A descoberta dos sons. Até o vento na copa das árvores compõe melodias únicas, de acordo com a resistência oferecida pela castanheira, a samaúma, o açaizeiro.

Na minha infância, o som que achava mais bonito era o do período da florada das castanheiras. A castanheira é polinizada por uma abelha enorme, o mangangá. Imaginem centenas de mangangás entrando nas flores para tirar o néctar! Como a flor é côncava, na hora de sair têm que fazer uma força extraordinária nas asas, num vôo de frente pra trás, que provoca um barulho de máquina potente e rouca. Uma de minhas primeiras lembranças do mundo é do barulho dos mangangás na copa da castanheira ao lado do terreiro da nossa casa.

Embora para muitas pessoas a floresta possa parecer homogênea, sempre a vi como espaço de diversidade. Gostava de prestar atenção em pequenas coisas, como formigas levando folhas para o buraco. O caminho das formigas era bem limpinho, parecia varrido. A estrada de seringa era cheia de folhas, tocos, raízes, de espera-aí, um espinho de rama que arranha a perna quando a gente passa. E eu imaginava como seria bom ter uma estrada de seringa limpa como o caminho das formigas!

Outra formiga, a tucandeira, tem uma ferroada tão dolorosa que não dá nem para explicar. Mas havia também uma razão mítica pra temê-la. Meu tio Pedro Mendes, que durante muito tempo conviveu com os índios do Alto Madeira, dizia que as tucandeiras viravam cipó de ambé. Se morresse uma na copa da árvore, o corpo virava a planta e as pernas viravam os cipós. Quando se era mordido de tucandeira, a primeira coisa a fazer era procurar um cipó de ambé, cortar e beber a água porque ela era o antídoto. Não sei se era mesmo, mas ajudava a aliviar a dor.

Meu tio ensinava coisas em que a gente acreditava profundamente. Ele dizia que se a gente se perdesse e visse uma borboleta azul, era só segui-la que ela nos levaria para a clareira mais próxima e de lá acharíamos o caminho de casa. Essa borboleta é linda, enorme, quase do tamanho da mão. Nunca vi um azul igual. Que, aliás, é marrom. Os pesquisadores do INPA descobriram que ela tem uma engenharia de disposição das escamas das asas que faz com que, na incidência de luz, se tornem azuis.

Depois entendi porque nos levava para casa. Porque gosta de pousar em frutas como banana e mamão maduros, já bicadas pelo passarinho pipira. Quando sente fome, procura a primeira clareira onde haja um roçado de frutas. E lá perto, certamente haverá uma casa. São coisas que parecem crendice, mas há conhecimento científico associado, obtido pelo mesmo princípio do método acadêmico: observação sistemática dos fenômenos.

Antes de existir Ecologia como ramo do conhecimento ou ambientalismo como movimento, o sistema da floresta já tinha suas normas, o seu “Ibama” natural, sua sustentabilidade, por meio de um código mítico que funcionava como legislação de proteção da mata e das formas de vida que a habitavam. Não se podia pescar mais do que o necessário, porque a mãe d´água afundaria a canoa. Não se podia caçar demais porque o caboclinho do mato daria uma surra. Não podia matar animal prenhe porque a pessoa ficaria panema, ou seja, sem sorte. E para tirar o azar seria preciso um ritual tão complicado que era preferível deixar o bicho em paz.

As práticas de acesso aos recursos da floresta, mediadas por esse código mítico, acabavam levando a um alto grau de equilíbrio. Só se caçava quando acabasse a carne seca pendurada no fumeiro do fogão. Logo, se não se podia caçar em excesso, não havia carne para venda, só para o próprio consumo. Contrariada essa norma, o caboclinho do mato castigaria o infrator com uma surra de cipó de fogo com nó na ponta. A pessoa apanhava mas não conseguia se defender porque não via a entidade. Ficava toda lanhada, com febre. Até o cachorro, se acuava uma caça desnecessária, começava a pular e ganir de dor. Era o caboclinho disciplinando o animal.
Os relatos eram inúmeros e me deixavam com muito medo de andar pelo mato. Superava-o, em primeiro lugar, cumprindo à risca as leis míticas. Além disso, desde criança tenho uma fé imensa e achava que, sendo justa com a natureza, Deus me protegeria.

E mesmo com todo esse medo, minhas irmãs e eu gostávamos de andar pela floresta porque lá a gente se divertia muito. Por exemplo, fazendo balanço de um cipó muito resistente, em árvores que chegavam a trinta metros de altura. Pescar nos igarapés, colher bacuri, abiu, taperebá, ingá, tucumã, cajá, era muito bom.

Era um mundo de sabedoria tradicional, de organização social e cultural inseparável da existência da floresta. Até que um dia chegaram as motoserras e tratores e desconstituiram os códigos míticos, criando a necessidade crescente do aparato legal que, por não estar dentro do homem, precisa de instituições e mecanismos para implementá-lo. Não foi à toa que a primeira grande operação de combate a desmatamento feita pela Polícia Federal, envolvendo 480 agentes, no estado de Mato Grosso, foi batizada de Operação Curupira.

Se abríssemos hoje nossa sensibilidade para os valores da floresta, talvez se tornasse mais fácil redefinir o que entendemos por qualidade de vida. Quem sabe, pode estar faltando uma enorme borboleta azul para nos conduzir para casa, onde os frutos de nossas decisões sempre nos aguardam em mesa farta.

* Professora secundária de História, senadora pelo PT do Acre e ex-ministra do Meio Ambiente. (Texto extraído do Terra Magazine)


gostaria que vissem os 3 videos e comentassem o que acharam!!!


Esses 3 vídeos...
trás a importância do Amor à Vida em um só conjunto...
E os apelos
dos homossexuais no combate a AIDS ou do apelo de uma simples borboleta
com seu habitat-natural poluido voando em rumo a extinção pela camada de ozonio DESTRUIDA ou pelo seu espaço natural FAUNA E A FLORA DESTRUIDAS ou na musica de Luciana Mello escute porque vale a pena, e coisas bonitas temos o dever de elogiar...e nós??? acabando com a Vida???o que nós seres
humanos estamos fazendo Com a natureza da vida!!!
me explica porque eu quero chegar a um consciência que nós vamos explodir a qualquer
momento..!!!Vamos fazer nossa parte ..separar o lixo,plantar arvores,criar um novo habito,Nós estamos destruindo nós mesmo sem perceber, veja as doenças estão descotroladas e doenças que nem existia surgem a cada dia pela poluição do nosso meio ambiente que nós mesmo estamos plantando ,mas pelo maL...MUDANÇA JÁ....NÃO ESPERE PRA DAQUI A POUCO fazer uma vez e parar, FAÇA SEMPRE....VAMOS EXIGIR DE EMPRESAS QUE REVERTAM PARTE DE SEUS LUCROS A REORGANIZAÇÃO DO MEIO AMBIENTE...CHEGA DE DAR LUCRO SÓ PARA BANCOS,GOVERNO E pagar impostos para não ver O desenvolvimento e sim só lucros para as empresas E NÃO VEMOS OS BENEFICIOS SÓ A DESTRUIÇÃO..AJUDE NO NOSSO SITE TUDO VAI SER DESTINADO 30% PARA ESSES QUE COLABOREM COM O NOSSO PROJETO...AQUI A TRANSPARÊNCIA VAI SER COMO UMA BORBOLETA TRANSPARENTE QUE VOCê CONSEGUE VER OS 3 LADOS...COMPRE...DENUNCIE...INVESTIGUE...
COM CERTEZA SUA VIDA NÃO VAI PASSAR EM BRANCO....OBRIGADO DE CORAÇÃO...
uMA nOVA CAuSA!

3 de ago de 2008

BY BORBOLETAS


O VIDA PRECISA QUE PESSOAS PENSEM NO MEIO AMBIENTE E TAMBÉM NO AMBIENTE HUMANO.....NÓS ESTAMOS ACABANDO COM O MUNDO ENTÃO PELO AMOR DE DEUS AJUDEM A MUDAR ISSO...
OBRIGADO
http://br.youtube.com/watch?v=ewccNEKp0Do